Espaço Atma Yoga

Nossos Horários

Nossas práticas diárias, com muito carinho, para seguirmos nosso caminho de evolução, juntos.

Atma YogaAtma

Vivência dos Chakras

Com Isabela Martins

Atma YogaAtma

Em uma profunda vivência, acesse suas emoções com consciência nos chakras, centros energéticos que existem em nosso corpo.

Utilizando ferramentas simples, que poderão ser usadas em casa, ( sons, aromas, cores, cristais, posturas de yoga, respirações e mandalas), descubra como os chakras podem servir como grandes aliados no nosso caminho de autoconhecimento.

Símbolos que espelham emoções e pensamentos do nosso corpo, relacionados com cada aspecto de nossas vidas, podem ser ativados a partir de diversas ferramentas, ampliando assim nossa consciência para as questões que enfrentamos no dia-a-dia.

Cada participante receberá uma apostila completa com todos os detalhes do curso e um saquinho com cristais de cada chakra.

A vivência acontecerá no dia 18 de Maio, das 14h às 18h no Espaço Atma.
Inscrições antecipadas: R$170
Turma pequena e vagas limitadas.
Para se inscrever, fale conosco.

Novo estúdio

Entrego. Aceito. Confio. Agradeço.

Atma Yoga

É com muita alegria que convidamos a todos para embarcar nesse novo universo que estamos co-criando, com muito amor, entrega, gratidão e fé no nosso novo estúdio..

Montamos um novo espaço, repleto de carinho e atenção, para que nossas práticas possam ser ainda mais significativas. Para que possamos todos juntos, no nosso sangha, trilhar nosso caminho do auto-conhecimento e das nossas próprias transformações.

Namah Shivaya Hare OM Namah Shivaya
Namah Shivaya Hare OM Namah Shivaya
Namah Shivaya Hare Om Namah Shivaya
Hara Shankara Shivaya
Hare OM Namah Shivaya

Namah Shivaya Hare OM Namah Shivaya
Namah Shivaya Hare OM Namah Shivaya
Namah Shivaya Jay Shambo Mahadevaya
Jaya Chandra Shekaraya
Jay Shiva Gangadharaya

Meditação, psicologia e filosofia budista para o desenvolvimento da inteligência emocional

Com Bruno Jankowsk

Atma YogaAtma

Nos dias 30.11, 02.12, 07.12, e 10.12 teremos no Espaço Atma o módulo 1 do curso de inteligência emocional com base nos ensinamentos e na filosofia do Budismo, com o instrutor Bruno Jankowsk.

O objetivo desse programa é desenvolver inteligência emocional através da meditação e da compreensão intuitiva e sistêmica da mente e dos nossos sentimentos.

O conteúdo desse programa é embasado nas estruturas que Sidarta deixou como legado para que vençamos a insatisfação e o sofrimento através do desenvolvimento da inteligência emocional e moral. Essa é a essência e raiz prática, filosófica e psicológica do que hoje se chama de mindfulness.

É uma forma de, coletivamente, através do auto-conhecimento, eliminarmos nossas intenções ruins para nós e para os outros. Para que possamos viver em uma sociedade pacífca e não governada pelos impactos ruins das nossas instabilidades.

Para inscrições ou maiores informações, entre em contato conosco.

A Estrada do Yoga

Uma prática muito além do Corpo Físico

Pri BohlsenAtma

No Sutras, Patanjali descreve os "Oito Passos" do Raja Yoga. Os cinco primeiros são Exotérico: nosso corpo físico, nossa relação com a sociedade e os outros e assim por diante. Estes são Yama, Niyama, Asana, Pranayama e Pratyahara.
Os próximos três são Yoga Esotérica - Dharana, Dhyana e Samadhi.
Esses oito passos são interdependentes e de extrema importância.

Os Yamas propõem restrtições externas.
Niyamas, observações internas.
Asana, suporte para o ser através do físico.
Pranayama o controle da energia vital com técnicas respiratórias.
Pratyahara, a introversão dos sentidos.
Dharana, exercícios de concentração.
Dhyana, meditação.
E, por último, Samadhi. O estado de superconsciência.

Yamas, nosso alinhamento com as relações externas

Ahimsa
não violência em pensamento, palavras e atos. Fumar, por exemplo, pode ser visto como um ato de agressão contra si mesmo e aos demais que estão ao redor.  Respeitar os seus limites durante a prática de Yoga também é visto como um ato de ahimsa.

Satya
Verdade em pensamento, palavras e atos. O seu eu exterior e seu eu interior passam a agir em harmonia, seguindo o caminho da honestidade consigo mesmo. Manter uma aparência externa que não condiz com a sua consciência interna traz desequilíbrio e gasto de energia em um estado constante de desconforto. Satya não é apenas a abstinência de contar mentiras, mas também a capacidade de ver a "verdade" por trás das coisas.

Asteya
Não roubar em pensamento, palavras e atos.  Podemos entender roubo como sendo o ato de tomar algo que não nos pertence. Por exemplo, ao nos atrasar, tomamos o tempo do outro que não é o nosso. O roubo vai além do físico.

Aparigraha
Ausência de ganância em pensamento, palavras e atos. Significa não possuir coisas desnecessariamente.Perdendo o desejo de objetos que não pertencem a si mesmo. Isso não significa que alguém deve suprimir os desejos de alguém, porque nesse caso, os "vrittis" ou os desejos mentais, irão funcionar na mente subconsciente e inconsciente e, eventualmente, você não será capaz de pensar diretamente. Mas, não dar um presente esperando um presente de volta pode ser um bom começo.

Brachmacharya
Brahmacharya significa "viver no Ser Supremo". Significa ser vigoroso, enérgico, corajoso para que venha vencer Abhinivesha - o medo da morte. Isso pode significar a necessidade de preservar "ojas" ou energia seminal, mas é altamente dependente da constituição natural.
As quatro unidades básicas são: alimentação, sono, segurança (medo) e prazer sexual. Ao invés de satisfazer excessivamente qualquer um desses, o vácuo deve ser preenchido com espiritualidade. A supressão do desejo é inútil. Melhor saber o desejo, de modo que, uma vez estabelecida na mente superior, é menos provável que seja distraído. O caminho do meio.

Niyamas, observando o mundo interno

Shaucha
Limpeza ou pureza, não só do corpo, mas também a limpeza de pensamentos ruins ou memórias tóxicas. Assim, pode-se praticar a alegria com mais facilidade.
Manter um ambiente limpo e organizado também ajuda a mente a se centrar.
Dizem que, praticando Shaucha, se aprende o respeito desapegado em relação ao próprio corpo, ou seja, pode se sentir menos envolvido pelo físico. Sendo assim, é mais fácil que essa pessoa passe a sentir compaixão em relação ao corpo dos outros com mais facilidade, pois muda sua percepção do seu próprio corpo.

Santosha
A arte do contentamento.
Apreciar o presente do jeito que ele é e não como gostaríamos que fosse.
Cada momento que nos é dado nessa vida independente das circunstâncias, sejam elas aparentemente positivas ou negativas. Praticando Yoga, por exemplo, podemos nos contentar com o grau de flexibilidade de que temos hoje em vez de ultrapassar nossos limites a ponto de se machucar. O contentamento nos permite finalmente relaxar e apreciar o presente da forma que ele é, aproximando-o cada vez mais de sua essência.

Tapas
'Ao praticar austeridades, as impurezas são destruídas e vem a perfeição no corpo e nos órgãos dos sentidos' (Sutra 43).
Para a meditação é necessário um corpo forte. Todas as funções do corpo devem ser reguladas e saudáveis para que não haja distração. No entanto, a austeridade deve ser praticadas dentro de sua capacidade. Esforço sem forçar.
Em última análise, o objetivo é ser capaz de resistir às demandas de um corpo quando diz 'Estou com fome' ou 'Isso é muito desconfortável'. É natural que tais coisas surjam, mas se são freqüentes e constantemente o fazem desistir, então o corpo e a mente ficam fracos.Ir além do limite através da compaixão e do respeito, isso é Tapas.

Swadhyaya
Conhece a ti mesmo. Autoconsciência, autoobservação, fechando os olhos e observando a própria natureza, muitas vezes o estudo das escrituras é importante, trazer clareza para a mente. Mas isso será inútil na ausência de conhecer a si mesmo. Torne-se o "vidente", o testemunho de si mesmo.

Ishwara Pranidhana
'O sucesso vem pela completa resignação a Deus' (Sutra 45). Próximo ao Samadhi, é a possibilidade de esquecer e se mover além do corpo.
Esta rendição é considerada o mais difícil dos Yamas e Niyamas. Um entregar-se completamente e deixar todo ego para se render ao destino. Patanjali não interpretou Deus como pessoal, uma divindade com os céus. Para ele, Deus era a realidade imutável por trás de todas as coisas manifestadas.

Lembrando sempre que os Yamas e Niyamas não são mandamentos, mas sim sugestões de um caminho para o auto-conhecimento, o auto-controle e a auto-superação.